quinta-feira, 30 de abril de 2009

Conversão de Guilherme de Pádua


Guilherme de Pádua, hoje convertido, diz ainda se sentir preso.

Ele cumpriu 1/3 da pena de 19 anos pelo assassinato de Daniella Perez; mora hoje em BH, tornou-se evangélico e está casado há 7 meses. Em entrevista à Folha, ex-ator conta levar vida restrita por medo de ser agredido.
O ex-ator Guilherme de Pádua não quer mais nada com a carreira artística, mas desconfia que vai ser famoso para o resto da vida. Condenado a 19 anos de prisão pelo assassinato da atriz Daniella Perez, sua colega de elenco na novela "De Corpo e Alma" (TV Globo, 1992), Guilherme cumpriu um terço da pena, foi libertado há cerca de sete anos, mas até hoje, ele diz que, sai pouco de casa e, quando o faz, sente um frio na barriga. "Continuo preso.


Fui uma espécie de exemplo de justiça superexposto pela mídia, em um país repleto de impunidade. A verdade é que fiz bobagens, mas sou inofensivo, e por isso as pessoas não têm medo de me agredir na rua. Já chegaram a me cuspir no rosto, em um shopping. Se eu fosse um bandido de verdade, um Marcola, você acha que alguém gritaria "Assassino!" para mim?"


Aos 36 anos, Guilherme leva uma vida bastante restrita para quem sonhou em ser astro da Globo. Voltou para Belo Horizonte, sua cidade natal, tornou-se fiel da igreja evangélica batista da Lagoinha, localizada em um bairro de classe média baixa, trabalha na informatização do templo e casou-se há sete meses com uma colega de culto, a produtora de moda Paula Maia, 22.


Não dá entrevistas: diz que tem "trauma" de imprensa. A Folha levou alguns dias para se aproximar, incógnita, dele. "Todo mundo disse o que quis de mim: teve um taxista que me reconheceu como o assaltante que deu um tiro no vidro do carro dele, quando eu já estava há um ano na cadeia. Como é que ele não me reconheceu antes, na novela das oito? Depois, disseram que eu era "leopardo" [integrante de um famoso show de striptease de rapazes no Rio]. Você acha que alguém veio saber de mim se eu fazia mesmo o show? Imagina: vou morrer "leopardo'".


Guilherme pode não ser o assaltante do táxi nem jamais ter trabalhado no show dos "leopardos". Mas o crime pelo qual foi condenado tornou-se tão emblemático que rivalizou em audiência com o impeachment de Fernando Collor. Daniella foi encontrada em um matagal ermo de Jacarepaguá, zona oeste do Rio, a três dias do réveillon de 1992, com 16 perfurações no pescoço, tórax e pulmões - consumadas a golpes de tesoura. Um crime "passional" clássico, que envolveu Guilherme e sua mulher na ocasião, Paula Thomaz, então com 19 anos; ela estava grávida de quatro meses e também foi condenada a 19 anos de prisão.


Um crime, várias versões.


Surgiram diversas versões para tentar explicar o homicídio. Guilherme mantém a que contou no tribunal: ele teria atraído Daniella até o local do crime para provar a Paula, escondida no carro, que não estava tendo um caso com a atriz. Mas, afinal, estava? Ele arqueia a sobrancelha e faz um meneio de cabeça, sem responder. "Não vou entrar em detalhes. Você vai ficar com o bico seco, mas algumas coisas eu não vou dizer." Continuando: a dada altura, já fora do carro, as duas começaram a se agredir, e ele tentou apartá-las, segurando Daniella com o braço em torno de seu pescoço (no movimento de uma "gravata") e afastando Paula com a outra mão. "De repente, o lado de cá [de Daniella] pesou. Entende? Eu estava nervoso, não controlei a força no braço, e ela caiu desacordada", explica ele. E as tesouradas? "A outra [ele não fala o nome de nenhuma das duas; agora é Paula] ficou desesperada, fora de si, e, no pânico, teve a idéia de forjar um crime cometido por um fã alucinado." E por que ele não contou essa versão no dia seguinte? [A princípio, ele negou de várias maneiras o crime - chegou a ir ao velório e prestar condolências à família da atriz. Mas a polícia tinha a placa do carro, anotada por uma testemunha, e o chamou para depor, alegando que muitos artistas estavam fazendo o mesmo.


Encurralado, ele acabou assumindo a autoria do crime sozinho. Por quê? "Ela [Paula] estava grávida, eu quis preservá-la. Mas depois que nosso filho nasceu, não achei justo pagar pelo que ela fez e continuar ouvindo-a negar sua participação." Procurada pela Folha, Paula Thomaz não foi encontrada: seu telefone no Rio, segundo gravação da Telemar, "não está recebendo chamadas". Ela e Guilherme não se falam, e, de um tempo para cá, ele não tem visto o filho Felipe, 14.


"Faço tudo para fugir de confusões. Corro de discussão", resume Guilherme. O advogado de Paula Thomaz, Carlos Eduardo Machado, diz que sua cliente não fala com a imprensa nem faz fotos, "para evitar mexer em uma ferida dolorosa para todos".


Sarna e dor de dentes.


Há quase sete anos em liberdade, dez sem dar entrevistas, ele conta que, na cadeia, pegou sarna, micose, dividiu a cela com um tuberculoso e sofreu com dores de dentes "sem a mais remota possibilidade de ser atendido por um dentista". Foi abusado sexualmente? "Não. Só é estuprado quem estupra. Graças a Deus não tive problemas porque nunca fui dedo-duro, um defeito imperdoável na prisão. Quem fala demais apanha até sair." Como se ocupava? "No início, achei que não fosse suportar. Durante um ano eu saí na capa - não é lá dentro, é na capa!- dos principais jornais.


Os presos diziam: "Você tá no mentiroso de novo". Mentiroso é o apelido de jornal na cadeia." Apesar de um pouco mais gordo ("tenho o mesmo peso da época da TV, 88 kg para 1,77 m, mas antes era só músculo"), o rosto é praticamente igual; apenas os cabelos pretos estão mais compridos, mas não há linhas que denunciem amargura ou ressentimento. Sua voz só se altera quando ele fala das "testemunhas falsas" (como o motorista de táxi) ou da dificuldade que tem de recomeçar a vida.


"Não paguei o que eles determinaram? Paguei. Tudo o que me mandaram na cadeia, eu obedeci. "Abaixa ali; levanta; abre os braços; deita no chão sem roupa." Só não morri porque ninguém teve a idéia de me mandar dar um tiro na cabeça."


Mas um dia, logo que chegou, pensou em suicídio: "Olhei para uma torneira alta na cela e me passou pela cabeça amarrar ali a calça e me enforcar. Mas aí pensei nos meus pais: já tinha dado desgosto suficiente a eles", diz Guilherme, que é filho temporão de um professor universitário aposentado e de uma dona-de-casa, tem três irmãos e foi criado em boas escolas.


Repercussão na família.


A irmã mais velha, Simone, 50, conta que, desde o episódio fatídico, a família nunca mais foi a mesma: "Éramos pessoas comuns, sem tragédias em nossa história. Não conseguia identificar aquele monstro exposto na mídia com o irmão que conhecia desde que nasceu. Não tínhamos preparo para o bombardeio que se seguiu." Simone diz que, além do sofrimento óbvio, a família arcou com a "indescritível" repercussão.


"Quando me separei do meu marido, uma revista publicou que "a irmã de Guilherme de Pádua pegou o marido transando com a mãe dela". Um dia, a multidão de repórteres era tamanha na porta da casa do meu pai que precisei sair com ele, deprimido e dopado, na mala do carro", lembra.


No dia em que deixou a cadeia, Guilherme conseguiu fugir da imprensa e hospedou-se na casa de um amigo no Rio. Comprou uma passagem de avião para Belo Horizonte, mas só para despistar os repórteres. Viajou de carro com os pais.


"Jesus faria isso?"


Guilherme dá a entrevista no terceiro dia de contato com a reportagem, em um restaurante chamado Parilla, no mercado do Cruzeiro (zona sul de Belo Horizonte). Famoso por servir carne uruguaia com batatas cobertas com queijo gorgonzola, o lugar é bem freqüentado sem ser considerado sofisticado. Nessa noite, uma quinta-feira, está praticamente vazio por volta das 21h30.


Além dele, estão na mesa sua mulher, Paula, e a irmã dela, Roberta. Todos tentam converter o repórter - especialmente Guilherme, que, desde o início, fala muito em Jesus. Ele conta que virou evangélico num momento em que, diz, a religião era a única alternativa. "Toda vez que saía da prisão, transferido, ou para ser julgado, havia uma multidão me esperando para xingar. Jogaram até cocô em mim.


No meio daquilo tudo, estavam sempre dois ou três crentes com a Bíblia, pregando a paz. Eu os achava uns malucos, mas quem mais me tratava como gente?" Em suas tentativas de converter os outros, diz que ele "era assim também". "Eu saía com três mulheres por noite, traía a minha e ria dos crentes. Achava-os uns bobões..."


Naquela época, diz, recém-chegado de Belo Horizonte no Rio, malhadão, baladeiro, ele se jogou nas noites cariocas. "Eu era doidaço", afirma. Usava cocaína? "[Relutando] Fiz tudo o que não presta. Não vou falar mais do que isso." O que, exatamente, é algo que "não presta"? "Para saber, você tem de perguntar: "Jesus faria isso?"


" Ele e Paula repetem: "A loucura para os homens é a sabedoria para Deus. E a sabedoria dos homens é a loucura para Deus". Eles frisam: "Mas só vale para coisas do bem". Por exemplo? "Você acha uma loucura não ter relação sexual antes do casamento? Então: isso é sabedoria para Deus", prega Guilherme.


"Ele é o meu bebezão".


Morena, magra, 1,65 m, cabelos lisos e longos, Paula conheceu o marido em uma confraternização de crentes na churrascaria Porcão. Deu o telefone e Guilherme ligou no mesmo dia, à noite. "Ficamos até umas três da manhã conversando." Guilherme contou tudo sobre o crime? (Ele interfere: "Cara, ela não vai falar disso'). "Sim, a gente conversou..." Não teve medo? "No início, achei que não daria conta de carregar esse fardo com o Gui. Hoje vejo que não tinha homem melhor para me casar.Tenho vontade de pegá-lo no colo, protegê-lo, é o meu bebezão." Filha de um empresário morto aos 42 anos durante uma cirurgia cardíaca, Paula mora com Guilherme em um apartamento de 70 metros quadrados da família dela, no Sion, um bairro de classe média de Belo Horizonte. Guilherme não paga aluguel e não revela o salário na igreja.


Por vontade de Paula, que não comemorou seus 15 anos porque o pai tinha acabado de morrer, o casamento foi celebrado com festa para 300 pessoas no salão de um hotel. Apesar de terem tentado manter segredo, um funcionário do cartório espalhou a notícia. "Você acredita que teve uma enquete na TV para saber se eu tinha o direito de me casar?", conta Guilherme.


Alguns jornalistas se hospedaram no hotel, mas ninguém conseguiu entrar na festa. "Os seguranças eram da igreja e não se corromperam. Aliás, a gente contratou os serviços e depois viu que todas as empresas eram de evangélicos: fomos abençoados com descontos maravilhosos", contam.


Longe dos olhos...


A experiência do casamento com uma crente, diz Guilherme, foi transformadora. "Você não sabe como a mulher evangélica é muito melhor. Eu estou amando pela primeira vez." Sua índole mudou? "Não.


O evangélico tem consciência de que a carne ministra contra o espírito e que é preciso conter isso. Quando você me rondou para dar a entrevista e pensei que poderia ser mais um repórter disposto a fazer o mal, meu primeiro ímpeto foi te odiar." Você se considera um assassino? "Andei fora do caminho de Deus. Na nossa igreja não existe pecadinho e pecadão. Todos estão perdoados, a partir do momento do batismo, mas perdoados por Deus. Na rua, pode-se continuar a pagar..." Enquanto paga, ele se tranqüiliza com uma certeza inexorável: "Daqui a cem anos, tudo estará resolvido".
Fonte: PAULO SAMPAIO
Enviado especial a Belo Horizonte da Folha de S. Paulo

segunda-feira, 27 de abril de 2009

A realidade da perseguição religiosa

Texto por Pastor Marcos Mansur - Site da Revista Comunhão
Recentemente recebi e-mails de vários irmãos e amigos denunciando projetos de leis em tramitação no Congresso Nacional que, se aprovados e sancionados pelo presidente da República, irão afetar diretamente a liberdade de culto em nossa nação.
Após investigar a veracidade das informações, constatei que são procedentes e o perigo é real. Tais projetos de leis são nefastos e uma afronta ao povo de Deus. Não temos dúvida alguma de que por trás de tudo isto está o espírito do anticristo.
Jesus nos advertiu que nos últimos dias seríamos perseguidos e odiados; seríamos entregues aos tribunais e aos presidentes, mas nos exortou a perseverar com firmeza (Mc 13.9-13).
A Reforma Constitucional, com propostas que visam mudar no texto da Constituição, prevê na parte que versa sobre "liberdade de culto" a proibição de culto fora das igrejas (evangelismo de rua). Ou seja, cultos religiosos só poderão ser promovidos de portas fechadas.
Outra alteração em pauta sugerida na legislação é em relação ao Imposto de Renda das pessoas físicas e das pessoas jurídicas (projetos nº 4.720/03 e 3.331/04, respectivamente). Se convertidos em Lei, os dois projetos obrigariam as igrejas a recolherem impostos sobre dízimos, ofertas e contribuições.
Em relação à mídia, programas evangélicos na televisão teriam tempo limitado e poderiam ser apresentados apenas durante uma hora por dia (Projeto nº 299/99, que altera o Código Brasileiro de Telecomunicações - Lei 4.117/62).
E mais: os pastores só poderão comandar atrações de TV e rádio se tiverem faculdade de Jornalismo, como quer determinar o Projeto nº6.398/05, que visa regulamentar a profissão de jornalista. A proposta contém artigos que estabelecem que só poderão fazer programas de rádio e televisão pessoas com formação em Jornalismo. Pastores sem a graduação específica estariam proibidos.
Além disso, será considerado crime pregar sobre espiritismo, feitiçaria e idolatria, e também veicular mensagem no rádio, televisão, jornais e internet sobre essas práticas contrárias à Palavra de Deus. É o que exige o Projeto nº 1.154/03, que "proíbe veiculação de programas em que o teor seja considerado preconceito religioso". Ou seja, a verdade sobre esse atos contrários à Palavra de Deus não poderá mais ser mostrada.
O Projeto nº 952/03 define que são crimes "atos religiosos que possam ser considerados abusivos à boa-fé das pessoas". Convertido em Lei, pelo número de queixas, pastores serão considerados "criminosos" por pregarem sobre dízimos e ofertas. E poderão até ser presos.
Pastores que forem presos por pregar sobre práticas condenadas pela Bíblia Sagrada (homossexualismo, idolatria e espiritismo) não terão direito a se defender por meio de ação judicial (Projeto nº 4.270/04). Existem outros projetos em andamento que ferem princípios bíblicos, como a instituição de um dia oficial do Orgulho Gay em todas as cidades brasileiras. E mais: igrejas que não realizarem casamento de homem com homem e mulher com mulher estariam fazendo "discriminação" e poderão ser multadas, e os pastores processados.
A Igreja de Jesus precisa estar unida em oração, pois os tempos futuros serão difíceis! Precisamos estar mobilizados politicamente e atentos aos detalhes dos projetos de leis que estão tramitando no Congresso Nacional!
Precisamos de homens de Deus sérios e comprometidos com o Reino para nos representar politicamente em todas as esferas nacionais!
Estejamos sempre firmes!

sábado, 25 de abril de 2009

Indecisão

Texto enviado por Eliane Gomes
"Quem não é por mim é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha." Mt.12:30


Havia um grande muro separando dois grandes grupos. De um lado do muro estavam Deus, os anjos e os servos leais de Deus. Do outro lado do muro estavam Satanás, seus demônios e todos os humanos que não servem a Deus.
E em cima do muro havia um jovem indeciso, que havia sido criado num lar cristão, mas que agora estava em dúvida se continuaria servindo a Deus ou se deveria aproveitar um pouco os prazeres do mundo.
O jovem indeciso observou que o grupo do lado de Deus chamava e gritava sem parar para ele:
-Ei, desce do muro agora...Vem pra cá!!!!
Já o grupo de Satanás não gritava e nem dizia nada. Essa situação> continuou por um tempo, até que o jovem indeciso resolveu perguntar a Satanás:
-O grupo do lado de Deus fica o tempo todo me chamando para descer e ficar do lado deles. Por que você e seu grupo não me chamam e nem dizem nada> para> me convencer a descer para o lado de vocês?
Grande foi a surpresa do jovem quando Satanás respondeu:
-É porque o muro é meu!! A indecisão é minha!
Conclusão: Se você não decidiu seguir a Deus então você está seguindo a Satanás. Não existe meio termo. Sinto dizer que o muro tem dono.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Filho com quem você vai?

Quantos de nós, em nossa infância, adolescência e juventude, já não ouvimos esta pergunta? Quantos, agora como pais, não a repetem várias vezes? Na verdade, estão corretos os que assim procedem, pois a Bíblia diz, em Salmos 127.3, que "os filhos são herança da parte do Senhor" e como tais devem ser cuidados. Mas, de fato, só isso tem bastado atualmente?Tenho visto uma enorme preocupação de pais com relação ao futuro de seus filhos, boa escola, bons empregos, boa casa, bons amigos...
Contudo, acredito que o cuidado com os filhos "vai além do que os olhos possam ver e o dinheiro possa comprar".A sociedade contemporânea tem sido palco das "astutas ciladas do inimigo", que se disfarça até mesmo de "anjo de luz" e vem, diariamente, "matando, roubando e destruindo".


Foi-se o tempo em que as más companhias podiam ser detectadas pelo tipo de roupa, estilo de cabelo, brinco, piercing ou até mesmo tatuagens pelo corpo. Hoje, de forma invisível e sutil, mensagens e ensinamentos satânicos têm entrado em nossos lares por diversos meios.Seu filho, da criança ao jovem, não precisa sair de casa para ter contato com rituais de invocação aos mortos, nem encontrar colegas da escola ou ir a um terreiro de candomblé para fazer um "trabalho de witch (feitiçaria)". Está tudo ali, no Google, no Orkut, nos sites de busca/pesquisa e relacionamentos.
Não se trata aqui de um discurso retrô, anti-internet ou contra a inclusão digital, mas sim de abrir os olhos para as inovadas artimanhas que o inimigo de nossas almas e de nossas famílias tem usado.Cabe a vocês, pais, criar um ambiente saudável, além dos bens materiais, para que seus filhos possam estar preparados para viver neste mundo tenebroso.


Você é responsável legal e espiritualmente por eles.Apesar de ser prazerosa, criar filhos certamente não é uma das tarefas mais fáceis de serem desempenhadas (vê-se pela quantidade de livros escritos sobre criação de filhos). Então, preste atenção nessas "dicas" preparada com amor para você:


1. ORE sempre e fale com Deus, sinceramente, todas as suas dificuldades na criação de seus filhos, divida sua cruz com quem pode o ajudar - ninguém sabe tudo, ninguém acerta sempre e não existem superpais.


2. LEIA a Bíblia e ouça o que Ele tem para lhe falar - não existe melhor livro para orientar na criação de filhos do que a Palavra de Deus, que é viva e eficaz .


3. OBEDEÇA às instruções que Ele lhe dará e então sua tarefa será muito mais leve, e você poderá descansar tendo a certeza de que fez o melhor por seus filhos.Lembre-se da promessa feita por Deus registrada em Jeremias 29.12: "Então vocês clamarão a mim, virão orar a mim, e eu os ouvirei.
"Fernanda M.B. CamargoProfessora em Educação Religiosa e Artes Plásticas.
Fonte: Revista Comunhão

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Minha Lista do NUNCA MAIS

O texto que segue é uma adaptação extraída do Livro de Don Gosset entitulado Há Poder em Suas Palavras. Nos momentos difíceis de dor e angústia pelos sofrimentos do nosso filho, tais palavras repercutiram como uma espada afiada, decepando sentimentos inúteis e nocivos à verdadeira fé. Leia atentamente e confira:

NUNCA MAIS DIREI “eu não posso”, pois “tudo posso naquele que me fortalece” (Filipenses 4. 13)
NUNCA MAIS DIREI que não tenho, pois “o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir em Cristo Jesus, cada uma de minhas necessidades” (Filipenses 4. 19).
NUNCA MAIS DIREI que tenho medo, “porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação” (II Timóteo 1.7).
NUNCA MAIS DIREI que tenho dúvidas ou falta de fé, porque eu tenho “a medida da fé que Deus repartiu a cada um” (Romanos 12.3).
NUNCA MAIS DIREI que sou fraco, porque “o Senhor é a fortaleza da minha vida” (Salmos 27.1) e “o povo que conhece ao seu Deus se tornará forte e ativo”.
NUNCA MAIS DIREI que Satanás tem supremacia em minha vida, porque “maior é aquele que está em mim do que aquele que está no mundo” (I João 4.4).
NUNCA MAIS DIREI que estou derrotado, porque Deus “em Cristo sempre me conduz em triunfo” (II Coríntios 2. 14).
NUNCA MAIS DIREI que não tenho sabedoria, pois “Cristo Jesus…se tornou da parte de Deus (minha) sabedoria” (I Coríntios 1. 30).
NUNCA MAIS DIREI que estou doente, pois “pelas suas pisaduras fui sarado” (Isaías 53.5) e Jesus “mesmo tomou as minhas enfermidades e carregou com as minhas doenças” (Mateus 8. 17).
NUNCA MAIS DIREI que estou preocupado e frustrado, pois estou “lançando sobre Ele toda a minha ansiedade, porque Ele tem cuidado de mim” (I Pedro 5. 7). Em Cristo estou livre de cuidados!
NUNCA MAIS DIREI que estou preso, pois “onde está o Espírito do Senhor aí há liberdade” (II Coríntios 3. 17). Meu corpo é o templo do Espírito Santo!
NUNCA MAIS DIREI que estou condenado, pois “já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus” (Romanos 8. 1). Estou em Cristo; portanto, estou livre de condenação.
Fonte: Site da Primeira Igreja Batista de Vitória
Extraído e adaptado por Pr. Vilmar Diniz, do livro GOSSET, Don. Há Poder Em Suas Palavras. 2ª ed. São Paulo: Vida, 1981. 205 p.)

segunda-feira, 20 de abril de 2009

"O filão religioso"

Texto de Ricardo Gondim
"As Casas Bahia disputam o mesmo mercado que a Magazine Luiza. As duas lojas se engalfinham para abocanhar o filão dos eletrodomésticos, guarda-roupas de madeira aglomerada e camas de esponja fina. Buscam conquistar assalariados, serralheiros, aposentados e garis. Em seus comercias, o preço da geladeira aparece em caracteres pequenos, enquanto o valor da prestação explode gigante na tela da televisão. A patuléia calcula. Não importa o número de meses, se couber no orçamento, uma das duas, Bahia ou Luiza, fecha o negócio - o juro embutido deve ser um dos maiores do mundo.
Toda noite, entre oito e dez horas, a mesma lengalenga se repete nos programas evangélicos. Pelo menos quatro “ministérios” concorrem em outro mercado: o religioso. Todos caçam clientes que sustentem, em ordem de prioridade, os empreendimentos expansionistas, as ilusões messiânicas e o estilo de vida nababesco dos líderes. Assim, cada programa oferece milagres e todos calçam suas promessas com testemunhos de gente que jura ter sido brindada pelo divino. Deus lhes teria abençoado com uma vida sem sufoco. Infelizmente, o preço do produto religioso nunca é explicitado. Alardeia-se apenas a espetacular maravilha.
Considerando que a rádio também divulga prodígios a granel, como um cliente religioso pode optar? Para preferir uma igreja, precisa distinguir sobre qual missionário, apóstolo, pastor ou evangelista, Deus apontou o dedo. E se tiver uma filha com leucemia aguda, não pode errar. Ao apelar para uma igreja com pouco poder, perde a filha.
O correto seria freqüentar todas. Mas como? Em nenhuma dessas igrejas televisivas o milagre é gratuito ou instantâneo. As letrinhas, que não aparecem na parte de baixo do vídeo, afirmariam que, por mais “ungido” que for o missionário, um monte de exigência vem embutida na promessa da bênção. É preciso ser constante nos cultos por várias semanas, contribuir financeiramente para que a obra de Deus continue e, ainda, manter-se corretíssimo. Um deslize mínimo impede o Todo Poderoso de operar; qualquer dúvida é considerada uma falta de fé, que mata a possibilidade do milagre.
Lojas de eletrodoméstico vendem eletrodoméstico, óbvio. Igrejas evangélicas comercializam a idéia de que agenciam o favor divino com exclusividade. E por esse serviço, cobram caro, muito caro. Afinal de contas, um produto celestial não pode ser considerado de quarta categoria. A “Brastemp” espiritual que os teleevangelistas oferecem vem do céu.
O acesso ao milagre se complica, porque todos mercadejam o mesmo produto. Os critérios de escolha se reduzem a prazo de entrega, conforto e garantia.
Opa, quase esqueci! As lojas, em conformidade com o Código do Consumidor, são obrigadas a dar garantia, mas as igrejas evangélicas não dão garantia alguma. O cliente nunca tem razão. Quando a filha morrer de leucemia, o pai, além de enlutado, será responsabilizado pela perda. Vai ter que escutar que a menina morreu porque ele “deu brecha” para o diabo, não foi fiel ou não teve fé.
Mercadologicamente, Casas Bahia e Magazine Luiza estão bem à frente das igrejas. Melhor assim, geladeira nova é bem mais útil do que a ilusão do milagre."

domingo, 19 de abril de 2009

O chamado! Eis que tudo se fez novo!

Olá amigos
Tive uma experiência muito bonita domingo passado dia 06/08/2006, pois ouvi a voz do Senhor, Ele falou comigo durante o culto.
Foi assim, o Pastor Carlos Marcelo estava pregando, falava sobre Naamã, 2 Reis capítulo 5:1-19. Teve um momento onde o pastor pediu que se alguém quisesse entregar a vida ao Senhor, que se levantasse.
Tive vontade de levantar-me, porém, exitei. Pensei que seria melhor eu ficar quieta, sentada no meu canto.
Mas o que aconteceu a seguir fez minha vida começar a mudar, eu ouvi Jesus falando comigo, Ele dizia "levanta, levanta logo, não perca tempo, Eu estou te chamando, estou falando pra você levantar-se", "Eu sou o seu Pastor e estou falando para você se levantar. É o Senhor Deus Todo-Poderoso quem está falando".
Eu fiquei ouvindo isso, mas não me levantava, apenas me mexia no lugar onde estava, a voz ficou repetindo isso, só que mais alto e mais forte.
Olhava para tráz achando que pudesse ser alguém, mas rtodos estavam quietos, a voz era muito próxima ao meu ouvido. Então não tive outra escolha, obedeci àquela voz e me levantei.
Foi a escolha certa, pois me senti mais leve, mais tranqüila, mais segura, porém sem palavras. Hoje dois dias depois resolvi compartilhar essa experiência com vocês, pessoas que considero escolhidas por Deus.
Na passagem onde fala sobre Naamã, o mesmo encontrava-se com uma ferida de pele e foi curado quando se molhou com a água do rio Jordão, entendi que a minha transformação não foi uma cura de pele, ou de doença pois não estava com nenhuma doença, mas signifiou uma mudança de "pele", ou seja, minha vida anterior, do mundo longe de Jesus representada na figura de pele foi retirada e colocada uma nova, um novo nascimento, uma pele abençoada por Deus.
"Quem está unido com Cristo é uma nova pessoa: acabou-se o que era velho, já chegou o que é novo" 2 Coríntios 5:17.
Agradeço a todos meus amigos, não vou colocar o nome de todos, pois posso esquecer-me de algum injustamente, porém não posso deixar de agradecer a quatro pessoas em especial:
Andréa S. S. Souza
Waleska C. R. Graceli
Rosiane Lúcia Barbosa
Sabrina M. Petronetto
Abraços a todos vocês e Deus os abençoe!
!Roberta Simões

sábado, 18 de abril de 2009

Testemunho de Rodolfo Abrantes ( ex-vocalista da banda Raimundos)


“Jesus estava a caminho da crucificação, já tinha sido humilhado de todas as formas, naquele momento faltaram-lhe forças. Um homem cirineu, chamado Simão, estava vindo do campo, e a guarda romana o constrangeu para ajudar Jesus a carregar a sua cruz. (Lucas 23:26).



No ano de 2000, eu estava cheio do que o mundo diz que é o auge, que é tesouro, que é beleza, fama, dinheiro, e tudo isso que o mundo pode oferecer para uma pessoa,e as pessoas se matam por isso.

Eu estava cheio de tudo isso, mas por dentro eu estava na maior miséria que eu já enfrentei na vida. Eu viajei com meu irmão pra a praia da Pipa para passar um revellion junto com ele e naquele mês que eu passei com ele eu só sabia falar cinco frases que eram: ‘vamo fuma’, ‘vamo come’, ‘vamo chapá’, ‘vamo surfá’ e ‘vo não’. Porque quando ele me chamava para fazer uma coisa diferente dessa eu dizia ‘vo não’. Em um mês eu falei apenas cinco frases com meu irmão, de tão drogado que eu era, de tão infeliz, de tão sem assunto, de tão vazio, porque ninguém dá o que não tem.

Como é que eu ia falar alguma coisa, eu não tinha nada! Eu era seco, vazio, um nada , um boneco, corpo presente ali. Em qualquer lugar que eu estivesse, minha cabeça estava em marte. Eu não sabia nem onde é que estava. Tem cidades que eu fui que eu nem sabia que tinha ido. Lesado, completamente drogado. Estragado.

Usava droga desde os treze anos de idade. Mas Deus viu a minha situação e sabia que dali em diante eu não conseguia carregar nada sozinho. Eu estava morrendo, e com os sintomas de um monte de doenças no meu corpo.

Por ser filho de médicos (mãe pediatra e pai ginecologista e obstetra) conheço um pouco de doença, então sabia que o que tinha no meu corpo era algo muito sério. Comecei a emagrecer de uma hora para outra, e tinha uma dor no estômago que me corroía todos os dias. Começou a aparecer um monte de caroços debaixo do braço que doíam muito, cheguei a contar nove caroços debaixo do braço, fora os da virilha que eram enormes, doíam demais.

Eu tinha que tomar dois antiinflamatórios por dia para poder fechar os braços. Eu estava em um estado terrível porque sabia que ia morrer. Ter saúde é uma bênção.

Estava nesse estado, sozinho, morando em São Paulo, com uma vida louca, trezentas namoradas por aí, espalhadas, drogas a valer, balada todos os dias, fãs de montão, disco de platina, dinheiro na conta, agenda lotada de show e completamente infeliz.

Aí tinha a Alexandra, que é minha esposa, que ‘estava passando, vindo do campo’.Eu a conheci em 1994, e fui reencontrá-la no ano de 2000.

Deus nos colocou juntos de uma forma milagrosa pois havia seis anos que tínhamos nos conhecido e pelo menos uns três que não nos víamos e eu me reencontrei com ela e nós não nos desgrudamos mais. Trouxe-a para São Paulo, para morar comigo.

Ela estava mais drogada do que eu. As drogas que ela consumia eram muito mais fortes dos que as que eu usava. Mas acontece que a Alexandra tinha uma coisa dentro dela que eu não tinha, uma coisa que vale mais do que o mundo inteiro.

Ela tinha uma semente que se chama Palavra de Deus dentro do coração dela, porque aos quinze anos, quando ela me conheceu, ela conheceu a Jesus também. Só que naquela época ela não seguiu nem a mim e nem a Jesus. Mas era o suficiente para saber que Jesus era o auxílio na hora da dificuldade. Toda vez que a coisa ficava preta, ela corria para dentro da igreja.Essa era a mulher que Deus colocou ao meu lado, uma mulher torta. Muita gente podia dizer que essa mulher era pior do que eu. Mas Deus não faz acepção de pessoas e Deus escolhe quem quer. Não interessa se você é o Presidente da República ou se você é gari.

Um homem torto, com uma mulher torta. E começamos a brigar e a nos agredir. A nossa vida virou um reflexo de tudo o nós fazíamos: um casal drogado, vivendo em pecado, na mentira, porque os pais dela nem sabiam que ela morava comigo.

Lá na casa dos pais dela podiam falar cão, mas não podia falar Rodolfo.Hoje minha sogra é uma bênção e trabalha conosco lá na igreja. O cenário para o diabo operar estava completo. Mas Deus, que é o todo poderoso, começou a mexer as coisas também.

E a Alexandra começou a buscar a JESUS e a se encher. E dizer: Se tu me deres o Rodolfo, eu nunca mais te largo. E o fogo começou a aumentar e os capetas tentando apagar através de mim, que era um saco de demônio, mas Deus estava ali protegendo a brazinha dela e o foguinho foi pegando e pegou num ponto que consumiu o Rodolfo no coração dela, ao ponto dela dizer: Senhor, com Rodolfo ou sem Rodolfo eu nunca mis te largo! Já não era eu mais em primeiro lugar, era Jesus aí estava do jeito que Deus gosta. Deus estava em primeiro lugar, aí Deus começou a transbordar na vida dela.

Ela convidou umas irmãs para fazer uma campanha de oração dentro de casa,porque essas irmãs também foram Cirineu, para ajudar a Alexandra a carregar a cruz dela, não pense que ela conseguiu sozinha.Elas começaram uma campanha de sete segundas-feiras lá em casa. Eu fugi das três primeiras, na quarta, Deus me pegou, não teve jeito.

Eu não queria saber de crente e achava que era a pior raça, que crente só servia para tirar dinheiro. ‘Eu sou doido, mas crente é ainda mais doido, não presta’.

Eu aceitei Jesus naquele dia, sabe porquê? Porque Deus dominou o lugar, Deus dominou o lugar completamente, eu não sabia isso na hora, claro. Hoje eu sei. Aquelas irmãs chegaram com simplicidade.

Eu que nunca tinha visto um culto evangélico na minha vida, o primeiro era um culto ultra, mega, super pentecostal ao extremo dentro de casa, dentro da sala em que eu fumava maconha. Era irmã correndo, dentro do banheiro todo enfumaçado em que eu tinha acabado de fumar, estava lá a irmã orando na latinha, numa latona de maconha que eu tinha a irmã orava na latinha e era irmã pra tudo quanto é lado. E eu perguntava: Deus que negócio é esse? Sabe o que aconteceu? Deus tomou conta do lugar, Deus tomou conta.

Era a presença de Deus enchendo aquilo ali. Glória a Deus! Aceitei Jesus naquela tarde, meio sem saber o que estava fazendo. Não sei porque eu aceitei Jesus. Acho que foi para elas irem embora. Mas eu aceitei Jesus e Ele entrou e não teve mais como escapar, Ele entrou. E quando Ele entrou, começou a trabalhar, e começou a mexer as coisas.Passou uma semana, e o Rodolfão estava lá no segundo culto da vida dele, dentro de casa, porque eu era tão doido que eu nunca ia pisar numa igreja, e aí Deus é tão misericordioso que Ele enfiou uma igreja prontinha dentro de casa.

Nessa segunda semana, Deus se revelou para mim dessa maneira a irmã começou a orar sem eu pedir nada. Ela começou a orar e abaixou a mão até a minha barriga e me disse que Jesus estava me curando de um câncer para você saber que Ele é Deus, que Ele te ama e que Ele tem uma grande obra para fazer na sua vida.

Ela falou que era um câncer de estômago. Meu avô morreu de câncer, dois tios meus morreram de câncer no estômago, duas tias minha tiveram que arrancar os seios porque tiveram câncer; era uma maldição que se alastrava na minha família.Graças a Deus Jesus Cristo cortou quando chegou em mim. Naquela tarde a minha dor de estômago desapareceu, e todos os caroços que eu tinha desapareceram. Passei a engordar, ceguei a engordar uns 18 quilos, não e uma hora para outra, fui ficando saudável e engordando, feliz, Jesus foi entrando em minha vida.

Fui curado, passei a viver apaixonadamente por Jesus e aquelas irmãs viraram Cirineus em minha vida. Começaram a me ajudar, com muito amor. Fomos caminhando. Fui expelido daquela banda como um dente que cariou e que tem que ser arrancado. Deus me tirou de lá. Graças a Deus, no momento certo. Levei muitas pedradas por causa disso, levo até hoje.

Deus tem um treinamento intensivo com quem se coloca à disposição. Você quer servir a Cristo? Então te prepara irmão!

É um privilégio maravilhoso sofrer por Jesus Cristo.

Naquele momento os pais da Alexandra que estavam desviados, começaram a ver a obra, a ver que agente não se drogava mais, que estávamos noivos, depois nos casamos rapidinho. Em meu primeiro testemunho, subi no púlpito e comecei a chorar. Eu só sabia dizer: fui curado e não uso mais droga, não conseguia falar nada, só chorava. Eu não entendia mais nada e pensava: pra falar palavrão no microfone eu falo tão bem, porque que pra falar das coisas de Deus eu não consigo?

É porque até você se acostumar com o fogo do altar leva tempo! É o fogo queimando as impurezas ainda. Quer ter vitória, anda no caminho do Senhor, obedece.Hoje eu não bebo não é porque eu não posso, é porque eu não quero. Eu quero ter comunhão com o meu Pai.

Isso vai atrapalhar minha comunhão, então fora! Atitude inteligente é você andar por um caminho que te leva pra vida e não em um caminho que te leva pro buraco!Vai pra vida e você vai ver que você é feliz sem uma gota de álcool! Sem um cigarro, sem uma droga, você vai ver que é feliz! Sem nada dessas porcarias, você vai ver que é feliz sem nenhuma dessas porcarias!

Presença de Deus. Isso satisfaz o ser humano.”

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Testemunho - Luciano Ruy Fiorio

O poder restaurador de Jesus é extraordinário. Quero compartilhar meu testemunho de vida com vocês, é edificante, só Jesus liberta!
‘‘Pois com amor eterno JESUS me amou e também com amorável benignidade me libertou; Aleluia’’.

Sempre fui à igreja desde quando era criança, fiz a primeira comunhão, crisma, sabe como é... era uma questão de valores e tradição, sou de uma família de descendentes de Italianos, o problema é que eu não tinha um relacionamento pessoal com Jesus Cristo, eu ainda não sabia invocar o seu nome, não sabia quem ele (Jesus) realmente é!
A história é longa, acredito que foram vários processos, tudo começou com uma sementinha que foi plantada quando eu ainda tinha uns 6 anos, meu pai tem uma irmã que é casada com um pastor, e eu gostava muito de jogar bola com meu primo, até que um dia nós estávamos na casa do avô dele, que também era pastor e morava no centro de Linhares. A casa dele era no térreo da 1° Igreja Batista de Linhares, e nós jogávamos bola no quintal. Um dia fiquei para almoçar lá, e na hora de orar e agradecer pela comida, meu tio perguntou se eu sabia orar? Eu respondi que não sabia e então, ele me convidou para recitar um salmo junto com eles, “ O Senhor é o meu pastor e nada me faltara, (Sl 23.1),” eu nunca mais esqueci dessa oração e pratico-a até hoje!
Já usei drogas e isto foi a pior coisa que fiz na minha vida! Eu me lembro quando tinha uns 14 anos e sempre via uma galera fumando maconha na rua onde morava e meus pais estavam sempre me alertando para não aceitar nada caso eles me oferecessem, eu tinha até medo, pois não entendia muito bem o que acontecia. Mas com o passar do tempo conheci uns amigos que quando a gente ia à praia eles sempre fumavam um baseado e depois ficavam na deles, nunca forçavam a barra para eu usar, pelo contrario, falavam que eu era garoto e àquilo não era para mim!
Eu já estava com 17 para 18 anos, já tomava um vinho, gostava de vodka, tomava álcool legal, principalmente nas festinhas...
As coisas começaram a piorar de verdade depois que fui para uma escola onde a maioria dos meus colegas gostavam de lança perfume e também fumavam muita maconha! Não teve jeito eu resisti até os 17 anos, mas um dia resolvi fumar um baseado para saber como era aquilo, depois o consumo foi aumentando, no inicio era só no final de semana, depois passei a fumar todos os dias e quando cheguei aos 20 anos já fumava uma carteira de cigarros para disfarçar o cheiro da maconha e o pior, comecei a cheirar cocaína e andava armado, no meu caso o uso de arma era uma tradição de família do interior!
Agora vem o lado bom, como sou surfista percebi que o cigarro e a cocaína estavam acabando com o meu surf, ficava cansado e por isto resolvi parar de cheirar cocaína e de fumar cigarro também, mas a maconha, essa eu não largava de jeito nenhum!
O surf é saúde e nos leva a querer conhecer novos lugares, o que marcou muito minha vida também foi um período em que morei em San Diego na Califórnia, EUA, cheguei em Los Angeles no dia 16 de janeiro de 1996.
Fui para Califórnia com sede de pegar as ondas que sempre sonhei e graças a Deus pequei... Lembro no primeiro dia, ao sair do avião, senti um cheiro diferente, quem já esteve lá sabe, é o cheiro dos EUA. Na ocasião fui direto para Disneylândia e logo de cara fumando um Green. Lá na Disney viajando (doidão), encontrei a seleção Brasileira de futebol e acreditem, eles estavam lá passeando e os músicos da Disney tocaram brasileirinho para homenageá-los, fiquei maluco, pois aquela música era pra mim também.
Morar na Califórnia foi um presente de Deus, foi um tempo onde pude estudar e aprender uma nova língua e cultura, na escola fiz amizades com pessoas do mundo intero, e depois da aula pegava altas ondas, em especial eu gosto muito de Ocean Beach e La Jolla, são as praias que eu freqüentava, curti tudo que os EUA podia me oferecer de melhor... e em especial a praia de Sunset Clifss no bairro de Ocean Beach que foi onde pela primeira vez na vida eu tive uma forte experiência com Deus no mar, naquele dia estava rolando ondas perfeitas em frente a universidade, ondas com até 10 pés, eu usava uma 7,6 Gun, na ocasião estava surfando com três amigos, (capixabas), e os experientes californianos! Lembro-me que naquele dia Deus usou os pássaros para me dar o sinal de quando a série ia entrar, não dá para explicar direito, mas naquele dia fui tocado pelo Espírito Santo de Deus, foi uma forte experiência, jamais vou esquecer!
Visitei o México também e bebi muita tequila naquele lugar, loucura... Mas, enquanto isso, aqui no Brasil minha mãe e um grupo de pessoas levantadas por Deus, aleluias, oravam intensamente pela minha vida, na certeza de que o Espírito Santo me alcançaria apesar da distancia e também da minha resistência. As pessoas que estavam em minha volta, (amigos capixabas), percebiam o perigo que eu estava correndo e as dificuldades pessoais com drogas lá nos EUA. Após um ano e meio longe de casa, nada mais me dava prazer, nem as ondas, nem os rocks e nem o dinheiro. Meu coração estava machucado com um namoro que não tinha dado certo, tinha brigado com um dos amigos que dividiam as despesas da casa, usava ainda mais drogas e álcool até chegar o ponto de ficar sem grana, e minha mãe descobriu tudo isso, através dos amigos capixabas que estava lá. Em março de 1997 minha mãe comprou a passagem com a ajuda dos meus amigos e conseguiu me trazer de volta para o Brasil.
Alguns meses após chegar em casa, a pedido de minha mãe fui morar em Aracruz na casa de uma das irmãs dela. A intenção era ficar longe das drogas e de algumas companhias. Lá eu trabalhava ajudando minha família, às vezes assistia as missas e curtia as festas da região, mas, quando a maconha acabava eu ia à busca dela, até encontrar! Minha família sempre me amou muito e louvo a Deus pela vida de cada um deles!
Em Aracruz eu pegava altas ondas no Changão (Barra do Sai) e às vezes ia para Regência, eu surfava sempre com pranchas muito grandes e muitos surfistas não entendiam por que eu usava pranchas tão grandes, a verdade é que eu sempre tive esperança de um dia ver aquelas “morras” californianas quebrarem por aqui... mas quem pega ondas sabe que aqui também rola altas ondas, só não é muito divulgado, a imprensa esportiva não investe pesado no surf por aqui, somente alguns amantes do esporte mesmo fazem isso, nunca vi ninguém dos jornais locais com uma câmera dentro da água, por exemplo, quando Manguinhos esta quebrando de gala, ou então Veosylend, Avalanche, Changão, Alem... e tantos outros picos pela costa Capixaba, ainda falta muito para alcançarmos o nível dos californianos, lá matérias de surf sai no jornal todos os dias, igual é o futebol por aqui!
Não era só alegria em Aracruz, em alguns momentos tive muita tribulação, cheguei até a pensar em suicidiu uma vez, eu estava dentro de uma camionete em alta velocidade e quase me joguei de frente para uma carreta carregada de eucaliptos, depois de tempo tive um livramento de morte após capotar esta mesma camionete, não teve jeito apesar de amor e carinho eu era muito difícil e um dia tive uma discussão com meu tio e em 1998 acabei voltando de Aracruz para Serra.
Naquela época aconteceu que ao chegar em casa meus pais estavam diferentes, enquanto eu estava em Aracruz, eles estavam sendo evangelizados, Jesus enviou pessoas para pregar a verdade e meus pais beberam a água limpa, (Bíblia)!
Já em casa eu queria parar de usar drogas, mas dava muito trabalho para os meus pais, nunca fui violento, mas andava armado desde os 19 anos e era uma pessoa explosiva, graças a Deus não carrego crimes de sangue!
Em 1999 minha mãe recebeu a visita de uma amiga, e surgiu um convite para eu voltar aos EUA, desta vez com amigos que moravam nos EUA a mais de 10 anos e são legalizados. Com a ajuda dos meus pais, mais uma vez, acabei indo e eles sabiam que eu estava com vontade de largar as drogas, pois elas só me davam muitos problemas e eu já estava amadurecendo e queria parar... aquela viagem na verdade, era uma tentativa com o objetivo de mudar de vida e conseguir ser feliz!!! Vida nova!
Em agosto de 1999 antes de partir para os EUA, meu tio, aquele que é pastor em Linhares, estava sempre em Vitória a trabalho e na ocasião ficou sabendo que eu iria partir para EUA e foi na minha casa para almoçar e orar comigo. Lembro como se fosse hoje, antes de orar ele me perguntou se estava preparado para passar pela imigração, e eu disse que sim; depois ele perguntou se caso acontecesse alguma coisa o que eu faria? Eu prontamente respondi que começaria tudo de novo! Em seguida oramos e saboreamos a comida da mama, recebi as bênçãos dos meus pais e do meu tio pastor.
Partir rumo aos EUA, a felicidade era total afinal, amo aquele pais! Algumas horas depois, ao chegar ao Aeroporto de New Jersey, fui interrogado por um policial da imigração e não tenho duvida, Deus estava ali e usou aquele homem, naquele dia eu costumo dizer que estive face a face com a presença do Senhor, Aleluias... pela segunda vez eu senti a presença do Deus Vivo Aleluias...
A história é longa, mas resumindo, fui preso e mesmo assim fiz amizade com os policiais, depois fui deportado e voltei no mesmo dia e no mesmo avião!
Chorei muito, muito mesmo e fiquei arrasado! Mas quando cheguei e minha mãe me viu, acredite, ela chorava de alegria... Passei uma semana tribulado, nervoso e irado com a vida, fumando maconha para esquecer de tudo. Estava triste e com raiva, um estado depressivo, cheguei a pensar em suicídio, mas não tinha coragem de fazer! No decorrer daquela primeira semana após, ter sido deportado acredite, eu tive várias conversas com Deus. Eu ia pro final da rua onde meus pais moram (Bairro de Fátima), lá tem uma parte alta que fica de frente para a cabeceira da pista do Aeroporto de Vitoria, hoje esta cheio de prédios e existe um condomínio de casas, mas naquela época era tudo mata e existiam algumas arvores, eu gostava de ficar em baixo da sobra e ficava fumando uns baseados e observando os aviões decolar e pousar. Eu gostava de fazer isto, sempre curti as aeronaves, mas naquela semana eu olhava para elas e questionei muitas coisas com Deus!!! O porquê daquela deportação e também outras coisas relacionadas à minha vida pessoal, coisas que só eu e Deus sabia...
Como Deus trabalha, é incrível! O meu tio, (pastor) que é casado com a irmã do meu pai, ele até já surfou com a gente quando eu e os meus primos éramos crianças. Então, lá estava ele de volta desta vez para levar uma palavra na 1° Igreja Batista de Vitória, e quando ele estava a caminho, vindo de Linhares, minha tia, liga para minha mãe e diz: “chama o Luciano e se arrumem ai, hoje vamos para a Igreja orar, isto vai fazer bem para ele e para vocês!”.
Eu ainda estava em baixo da árvore no final da rua, quando vi um carro branco parar na porta da casa dos meus pais. Logo reconheci que era o meu tio (pastor), gelei e fiquei de cara na hora, perguntei para mim mesmo, o que ele esta fazendo aqui esta hora? Minha mãe foi direto ao assunto, e disse que eles estavam ali por minha causa e que eu precisava me arrumar rápido para ir com eles ao culto, pois não poderia atrasar o pastor.
Eu resisti um pouco sabe, mas como estava no fundo do poço, não via outra saída se não buscar a ajuda de Deus indo a Igreja. Nossa!!! Só de contar me emociono, Aleluias... O culto foi só tubão, insane, as manobras de Cristo eram perfeitas e sempre na parte crítica do meu coração, o Senhor Jesus tocou na minha Alma e Espírito. Jesus entrou junto comigo nos tubos da minha intimidade e eu não agüentei, me rendi, aleluias. Antes de levantar minhas mãos para aceitar a Jesus através do apelo que o Pr. Oliveira de Araujo fez, eu só escutava as respostas das minhas perguntas, coisas que só eu e Deus sabíamos os questionamentos que fiz ao Senhor embaixo da árvore, foi tudo respondido na minha frente, na lata, só eu o podia entender o que o pastor estava falando, era comigo, seus olhos vinham ao encontro da minha Alma e Espírito, fui neste momento que senti e vi os olhos de Jesus, Aleluias... Glórias sejam dadas a Deus... Por um momento pensei que estava até doidão, mas a doideira com Deus é diferente!!! Depois eu senti a presença de JESUS mais e mais entrando no meu ser, em todas as áreas da minha vida, de uma maneira sobrenatural. Jesus estava ali, fazendo a cirurgia da minha libertação das drogas e me lavando de todas as imundícies, com seu precioso sangue, Aleluias...
Desde o dia da minha conversão em agosto de 1999, graças a Deus estou firme, meus alicerces estão plantados na rocha que é JESUS CRISTO, fui totalmente liberto e nunca mais usei drogas...
Deus é maravilhoso, Jesus Cristo sempre cuidou de mim. Após minha conversão fui evangelizado durante 10 semanas, o Senhor me mostrou a Igreja onde eu deveria freqüentar e em 2000 fui batizado nas águas, desde então estou congregando na 1° Igreja Batista em Jardim Camburi, Vitória-ES.
Passei também um tempo em casa só lendo Bíblia, andava muito de bicicleta e estava sempre pegando ondas, em 2002 o Senhor me mostrou uma profissão, surgiu o interesse por ela e com o passar dos anos a gente aprende muita coisa, hoje sou consultor imobiliário;
Em 2003 conheci Magna e em 2007 casamos, ela é uma esposa maravilhosa, um presente de Deus, o Senhor me ajudou a encontrar o pedaço da minha costela!
Jesus esta sempre me surpreendendo e me levando em lugares maravilhosos; estou sempre pegando altas ondas com meus amigos. O Senhor é misericordioso e nos dá tudo que precisamos para viver!
Jesus esta sempre ao meu lado em todas as situações, nos momentos de alegria e de tristeza, o Senhor esta sempre me dando forças, Deus é fiel!
Sabe, um dia destes com fé em Deus e para a Glória do Senhor, vou escrever um livro contando minha história de vida e com fotos de todos os lugares por onde andei e surfei, vai ser no tempo do Senhor...
Hoje com a ajuda de Deus, da minha esposa, do meu pastor e dos meus irmãos (as), sou discípulo em um dos Núcleos da Missão Surfistas de Cristo no Espírito Santo, (Núcleo de Jardim Camburi), juntos buscamos vigilantes viver, praticar e pregar os princípios e as verdades que estão na Bíblia, nossa missão é ajudar aqueles que ainda não descobriram as verdades que estão somente em JESUS CRISTO, ele é o caminho certo, ele é a porta estreita que nos leva a vida eterna...

Testemunho de Luciano Ruy Fiorio, membro da Igreja Batista em Jardim Camburi e um dos lideres do Surfistas de Cristo em Jardim Camburi.

Texto e foto cedidos por http://www.surfistasdecristo-es.com.br/

terça-feira, 14 de abril de 2009

Com Jesus somos vencedores

Acredite em seu potencial...
Ao olhar para pessoas de sucesso, temos à sensação de que estas pessoas já nasceram nas exatas posições em que ocupam.
O que faz parecer, que os que trilharam o caminho até o sucesso são grandes herois, pessoas totalmente intocáveis, inabaláveis, nunca atingidos pela tristeza, desânimo, dor, cansaço e todos estes ingredientes que imaginamos característicos dos simples mortais.
Imaginamos que esses homens foram incentivados encorajados e abraçados sempre, em todos os momentos estiveram rodeados de pessoas que deram suporte financeiro, indicações.
Imaginamos que eles tentaram e conseguiram logo nas primeiras vezes… Nossos argumentos para justificar esse “sucesso utópico”, geram sempre a mesma frase…
Se eu tivesse… Minha vida seria diferente.
Quero dividir um exemplo de como um simples mortal pode chegar lá.
Em 1991, Phil Vischer teve uma grande ideia.
Ele queria produzir uma alternativa cristã para os programas de entretenimento que dominavam as TVs nas manhãs de sábado.
Quase sem recursos, Phil enfrentava grandes limitações para criar animações computadorizadas. A possibilidade de empregar efeitos especiais mais chamativos era totalmente nula.
Personagens bem elaborados também estavam fora de questão, financeiramente falando. Até a colocação de braços, pernas ou cabelo nos personagens tinham um alto custo.
Que opção havia então?
Verduras e legumes falantes.
Phil e seu sócio e Mike Nawrocki, criaram um clipe de doze segundos de Larry, o Pepino, pulando prá lá e pra cá em cima de um balcão. Em seguida, foram atrás de investidores para produzir o filme inteiro, porém ninguém se dispôs.
Afinal de contas, aquelas verduras não eram simplesmente falantes; aquelas verduras eram verduras falantes religiosas!
Com muitas dificuldades em julho de 1993, Phil fundou a Big Ideas Productions, e de um quarto vazio em sua casa começou a comercializar o filme “Veggie Tales” em revistas cristãs. Infelizmente, até o natal ele havia recebido apenas quinhentos pedidos, deixando-o com pouquíssimos recursos.
Em 1994, a Word Music, uma extensão da Word Publishing, aliviou a situação ao acordar distribuir “Veggie Tales" para as livrarias cristãs.
Os vegetais receberam comentários empolgados, mas as vendas deixaram a desejar.
No mesmo ano, apareceu uma proposta tentadora: colocar os legumes tagarelas em todas as lojas Wal-Mart dos Estados Unidos. Era a oportunidade de Phil ficar milionário da noite para o dia. O único detalhe era que, para fechar o negócio, Phil tinha que excluir tanto Deus quanto a Bíblia de suas histórias.
A situação definia a palavra dilema. E a resposta de Phil definiu a palavra princípios.
Segundo Phil, estavam desesperados, mas como ele iria ensinar Deus, tirando-o de cena? A Big Idea não fechou o negócio.
Em 1995, a propaganda boca-a-boca aumentou as vendas e então veio nova proposta do Wal-Mart, “Nós não nos importamos com as partes que falam de Deus, mas pode excluir os versículos do final?”
“Nada feito”, respondeu Phil. “Nosso ensinamento tem um fundamento bíblico e não desejamos cortar os versículos.”
As vendas continuaram a crescer durante os dois anos seguintes.
A Big Idea atingiu a marcar de setecentos e cinqüenta mil vídeos vendidos em 1996 e chegou aos dois milhões muito antes do final de 1997.
E voltaram os homens do dinheiro dispostos a fazer negócio nos termos de Phil. “Nós os queremos do jeito que estão”.
Atualmente Larry e seu camarada Bob, o Tomate, estão disponíveis não somente nas livrarias cristãs, mas em todas as grandes redes de lojas, em todos os Estados Unidos e no mundo inteiro.
Quem não conhece hoje os Vegetais?
Na verdade, todos os que chegaram ao sucesso pagaram o preço por ele. Abdicaram de muitas coisas, superaram seus medos, renovaram suas expectativas e alçaram vôos cada vez mais altos, até chegarem ao topo.
No caminho para o sucesso desta história, PACIÊNCIA e PERSISTÊNCIA foram fundamentais e foram os grandes agentes do êxito.
Enquanto todos achavam ridículos os LEGUMES FALANTES RELIGIOSOS, Phil teve paciência de explicar muitas vezes do que se tratava seu trabalho.
Não desistiu de procurar caminhos, bateu em várias portas, ouviu e digeriu vários nãos, quem sabe até acompanhados de conselhos do tipo: “Procure outra ideia.”
Ele não mudou suas ideias, não desistiu delas, não abriu mão de seus princípios.
Quantos teriam aberto mão de seus princípios em função do dinheiro trazido pela oferta do Wal-Mart?
Mas a paciência e persistência em fazer algo que se diferenciasse pelos ensinamentos de Jesus, fizeram dos Vegetais, o sucesso que é hoje.
Você também pode!
Texto por Kathya ramanlho

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Salmo 4

Busque em Deus a força que você precisa,
e você irá encontrar o melhor resultado para a sua vida!
[Salmo de Davi ao mestre de canto, com instrumentos de cordas]
4 - 1 Responde-me quando clamo, ó Deus da minha justiça; na angústia, me tens aliviado; tem misericórdia de mim e ouve a minha oração.
4 - 2 Ó homens, até quando tornareis a minha glória em vexame, e amareis a vaidade, e buscareis a mentira?
4 - 3 Sabei, porém, que o SENHOR distingue para si o piedoso; o SENHOR me ouve quando eu clamo por ele.
4 - 4 Irai-vos e não pequeis; consultai no travesseiro o coração e sossegai.
4 - 5 Oferecei sacrifícios de justiça e confiai no SENHOR.
4 - 6 Há muitos que dizem: Quem nos dará a conhecer o bem? SENHOR, levanta sobre nós a luz do teu rosto.
4 - 7 Mais alegria me puseste no coração do que a alegria deles, quando lhes há fartura de cereal e de vinho.
4 - 8 Em paz me deito e logo pego no sono, porque, SENHOR, só tu me fazes repousar seguro.

sábado, 11 de abril de 2009

Pastores e "pastores"

Escrito por ANDERSON RESENDE BARBOSA
Bacharelando de Teologia Fatebe/STBE
02/04/2009 - publicado no Jornal Batista

O ministério pastoral tem sido alvo de muitos ataques, o que me desperta para compartilhar um pouco mais daquilo que o Senhor tem colocado em meu coração sobre o tema pastores e “pastores”. Penso ser bastante relevante para nossos dias a compreensão (espero que seja entendimento de todos) de que a missão do pastor é mais do que assumir uma igreja, mas é entender que ele é responsável pelo povo de Deus.
A função primordial do pastor está além do trabalho determinado pela igreja, mas é de apresentar a Deus, o dono do “rebanho”, um povo sadio e bem doutrinado nos ensinamentos das sagradas escrituras. Percebemos que a responsabilidade pastoral é em relação à família, à igreja, e, sobretudo, ao indivíduo.
O apóstolo Paulo, ao falar sobre os cuidados de quem lidera em uma de suas cartas pastorais, diz que o pastor deve reter “firme a palavra fiel, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para exortar na sã doutrina como para convencer os contradizentes” (Tito 1.9).
Hoje, muitos pastores não estão preocupados em fazer isto a que a palavra de Deus se propõe. Pelo contrário, têm permitido que o rebanho ultrapasse as fronteiras propostas e se alimentem de ervas daninhas trazendo para a igreja uma enfermidade terrível, pois não estão se alimentando da palavra fiel que está segundo a doutrina de nosso Senhor Jesus Cristo.
Interessante que a idéia de pastor no Antigo Testamento é a daquele que cuida incansavelmente do rebanho indefeso. Para isto ele permanecia no local onde estava o rebanho, noite após noite, sob quaisquer circunstâncias. Mesmo sob o perigo de feras ou salteadores, mas sempre presente para poder proteger seu rebanho.
O verdadeiro pastor usa a palavra de Deus para guiar o caminho das ovelhas. Através das escrituras as exortam contra os falsos ensinos que procuram entrar sorrateiramente no seio da igreja. Ele está sempre atento quando as feras se aproximam para devorar uma de suas ovelhas. Além disto, a presença do verdadeiro pastor inibe o ataque do salteador.
Hoje há muitos “pastores” (salteadores) formando igrejas com membros de outras. Como dizia meu pai, são “pescadores de aquário”. Estas pessoas mudam a doutrina da igreja, pervertem os ensinamentos da sã doutrina e conseguem tomar tudo que levou vários anos para se construir, como por exemplo o templo e todo o patrimônio pertencente à denominação. Como diz o apóstolo Paulo em Tito 1.11, agem “por torpe ganância”.
Como é lamentável a notícia de que uma igreja de dezenas de anos, ou até mesmo de séculos de existência, está sendo vítima destes “salteadores” que, por vezes, mentem para a denominação se dizendo batistas.
Queridos pastores, vamos nos atentar para isto! Temos uma grande responsabilidade diante de Deus, que é a de apresentar a Deus o melhor, uma igreja sadia na qual depositamos todas as nossas forças.

Agradeço a Deus por minha igreja estar bem servida com os pastores, que realmente são pessoas abençoadas, sérias e responsáveis com o ministério que Deus os deu.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Páscoa

O que é páscoa?

Que legal quando chega a Semana Santa! Feriado na escola, reunião com a família e amigos, ovos de páscoa..
Mas qual será o verdadeiro sentido da Páscoa?

O verdadeiro sentido da páscoa

Muitos cristãos não sabem qual é o verdadeiro sentido da Páscoa. Muita gente ainda pensa que Páscoa é apenas um feriado muito legal no qual ganhamos muitos ovos de chocolate. Os costumes e as tradições que são ensinados de geração em geração nos impedem, muitas vezes, de conhecer o verdadeiro sentido da Páscoa. As propagandas na televisão, os cartazes, as brincadeiras de procurar ovinhos de chocolate que o coelhinho escondeu, tudo isso nos faz esquecer o verdadeiro sentido da Páscoa.

Como tudo começou?

Para a gente entender melhor como começou a Páscoa, precisamos voltar um tempo na história, precisamente 1.500 anos antes de Jesus Cristo nascer. Nesta época os judeus eram escravos no Egito. Lá eles trabalhavam duro, e foram maltratados por 430 anos. Deus, então, enviou Moisés para livrar o seu povo da escravidão, para que pudessem conhecê-lo e adorá-lo. Mas Faraó, o Rei do Egito, não queria libertar o povo de Deus. O Senhor, então enviou, dez sinais do seu poder para que Faraó libertasse o seu povo:

1) Fez o rio Nilo se transformar em sangue. Todos os peixes morreram e o cheiro ficou terrível.
2) Rãs invadiram as casas dos egípcios.
3) Os egípcios e os animais ficaram cobertos de piolhos.
4) Deus mandou milhões de moscas para todo o Egito.
5) Os animais morreram.
6) Feridas cheias de pus cobriam a pele dos homens e dos animais.
7) Uma forte chuva de pedras acabou com tudo que estava no campo, incluindo as pessoas e os animais.
8) Uma nuvem de gafanhotos comeu todas as plantas e frutos que sobraram depois da chuva de pedras.
9) Durante três dias houve uma grande escuridão, e somente os egípcios ficaram no escuro.
Mas mesmo assim, o coração de Faraó ficou tão duro que não deixava o povo ir. Então Deus disse que mandaria o último sinal:
10) Deus mandou que cada família do povo de Israel matasse um cordeiro macho, sem defeitos, e passasse o sangue desse cordeiro nos umbrais da porta de sua casa, quando Deus visse o sangue, ninguém morreria ali, mas nas portas dos egípcios não havia o sangue. Então o anjo da morte levaria o primogênito (filho mais velho) de cada família egípcia, desde o filho do Faraó até o filho do servo mais humilde, e também todo primogênito dos animais (Ex 12.7).

Depois deste sinal, o povo de Israel foi liberto da escravidão. Por causa desse grande livramento a Páscoa passou a ser comemorada como a noite que Deus poupou Israel, salvando suas crianças e libertando a todos. (Essa história toda está em Êxodo a partir do capítulo 7 ao 12)

Por que comemoramos a páscoa hoje?

A Páscoa que comemoramos hoje é a maior de todas as festas cristãs, maior até do que o Natal!

Jesus veio aqui na Terra e nos ensinou a amar, a viver, a pensar, a servir...
Ele veio para nos reconciliar com Deus e nos libertar da morte e do pecado. Mas para que tivéssemos direito a esta herança, Jesus teve que morrer. Ele foi humilhado, maltratado e morreu como um cordeiro. Depois ele ressuscitou no terceiro dia, e hoje ele vive! Deus enviou seu filho unigênito, sem defeitos. Jesus é como aquele cordeiro da Páscoa dos hebreus. Todos os que aceitam seu sacrifício são libertos da escravidão do pecado e da morte, assim como os Hebreus foram libertos pelo sangue dos cordeiros passado nas portas.


Jesus e o cordeiro da páscoa.

Vamos ver agora comparações que mostram que o que Jesus fez por todos nós foi como o que Deus fez para os judeus através daquele cordeiro morto na Páscoa:

1. Deus pediu para os homens que separassem um cordeiro para ser sacrificado, ou seja, morto. Da mesma forma, Jesus é o cordeiro de Deus (João 1.29). Ele é a nossa Páscoa (1 Coríntios 5.7).

2. Em Êxodo 12.5 diz que o cordeiro tinha que ser sem defeito, lembra-se? Pois é, Jesus cumpriu esta exigência (1 Pedro 1.18 e 19)

3. O cordeiro da Páscoa tinha que ser escolhido e separado dos outros cordeiros quatro dias antes da Páscoa (Êxodo 12.3-6). Jesus Cristo chegou em Jerusalém quatro dias antes da comemoração da Páscoa e morreu no mesmo dia do sacrifico do cordeiro (Referencia).

4. O cordeiro precisava ser imolado por toda a população (Êx 12.6). Jesus Cristo também foi sacrificado pelos líderes civis e religiosos de Israel e de Roma, e pela vontade de todo o povo que estava reunido lá (Referencia).

5. Nenhum osso do cordeiro poderia ser quebrado (Êxodo 12.46). Em João 19.33 e 36 fala que quando Jesus já estava morto na cruz ninguém quebrou nenhum osso dele, pois era costume quebrar os ossos de quem havia morrido na cruz.

6. Em Hebraico, Páscoa quer dizer passagem. Para o povo de Israel foi a passagem da escravidão para a liberdade; para nós, Páscoa é a celebração que marca a passagem da morte para a vida.

7. Jesus se ofereceu para ser sacrificado. Ele não foi tomado de surpresa. Ele escolheu morrer por nós.

Quando João Batista – um profeta de Deus – viu Jesus pela primeira vez, disse: Eis o cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo!

Então, como ficam os ovos de chocolate e os coelhinhos nesta história?

Os ovos de páscoa

Bem, há muito tempo o ovo era considerado símbolo de vida. Era costume, em todo mundo, presentear as pessoas com ovos de galinha, ganso ou codorna. Esses ovos eram pintados à mão, com cores bem vivas e alegres. Uma bela obra de arte!

Os primeiros cristãos a usar os ovos coloridos foram os Mesopotâmios, para comemorar a alegria da ressurreição. Para as antigas civilizações Maia e Asteca, o chocolate era considerado sagrado. Ele tinha tanto valor, que os Astecas usavam o chocolate como moeda. Antigamente, o chocolate era servido apenas como bebida. As pessoas se sentiam muito bem com ela, porque as deixava com mais força e energia. Era uma bebida sofisticada servida apenas para os governantes e os soldados. Os bombons e os ovos de Páscoa foram criados no século XX.

Os coelhinhos

Existem algumas lendas que explicam como o coelho passou a ser símbolo da páscoa, mas o que todos dizem é que o coelho representa a fertilidade, pois os coelhos geram muitos filhotes.


Os símbolos da páscoa para os cristãos

O cordeiro, que simboliza Cristo, sacrificado em favor da humanidade.

O pão e o vinho, simbolizando o corpo e o sangue de Jesus, oferecido aos seus discípulos.

Ervas amargas, representam a escravidão. Serviam para lembrar o povo judeu como era ruim a escravidão no Egito, e hoje nos lembram como é ruim a nossa vida como escravos do pecado. Algumas ervas amargas: o almeirão, rúcula, alface romana, hortelã, chicória e agrião.

Conclusão

Então podemos entender porque tanto engano, e tantas coisas para distrair as pessoas do verdadeiro sentido da Páscoa. É porque satanás, o inimigo de Deus, não quer que as pessoas saibam sobre Jesus para serem salvas! Por isso, juntos, nós temos que contar a verdade sobre a Páscoa para as outras pessoas, para que elas possam conhecer Jesus Cristo, o cordeiro de Deus.


Texto por Raquel Almeida

terça-feira, 7 de abril de 2009

Quem governa a sua vida?


Mateus 6:9-11 diz:

"Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome;
venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu;
o pão nosso de cada dia dá-nos hoje;"


No verso 10, Jesus diz "Venha nós o teu Reino". A expressão que Jesus ensinou aos discípulos mostra que Jesus voltará ao céu e os discípulos teriam a responsabilidade de continuar a obra de implantação do reino de Deus na Terra.
E os discípulos nem imaginavam que mais de dois mil anos depois, nós estaráiamos celebrando o poder de Jesus.
Os discípulos não poderiam imaginar mas obedeceram.
Perante toda luta eles diziam venha o teu reino. Os discípulos fizeram a parte deles e fizeram tão bem que há alegria em nossos corações ao celebrar o nome Dele.
Mas há uma palavra apenas que pode resumir essa frase. Que palavra poderia substituir a frase "venha nós o teu Reino"?
Quando Jesus disse venha nós o teu reino Ele quis dizer em uma palavra só: Governe!
Governe a minha vida, a minha casa, a minha fam´´ilia, meus negócios, meu dia a dia, meus passos.
Tantos são os governos que querem invadir a nossa vida, mas fora do governo de Deus a vida se torna triste, como temos visto tantos acontecimentos trágicos, como vemos acontecer muitas coisas ruins. Notícias de violências, abusos, hipocrisias. Existem tantos governos que isso pode confundir as pessoas.
Com Deus no governo, TUDO melhora.
Quem está governando a sua vida?
Satanás não brinca. Ele mata, rouba, destroi. Ele está pronto para tirar a sua vida do governo de Deus.
Quando Adão e Eva comeram o fruto significou dizer para Deus: Não queremos mais o teu governo. Satanás se transformou em cobra para confundir o casal.
Quem governa a sua própria vida ou deixa que o mundo o faça é viver sem ter 1 cm de horizonte, pois abriu mão do governo de Deus. É impossível viver fora do governo de Deus e ter uma vida de paz.
Mas Deus não desistiu do homem, Deus não desiste, Ele insite.
Estamos todos aqui reunidos como igreja porque Deus não desistiu de nós.
Jesus está dizendo "vem comigo".
A salvação de cada um está nos planos de Deus. E o que Deus diz Ele cumpre, foi assim com Abraão quando disse "farei de ti uma grande nação".
Em 1 Samuel, Samuel fica numa situação constrangedora, pois acha que falhou quando o povo pede "Queremos um rei". Eles queriam um rei porque as outras nações tinham um rei. Mas quando o povo de Israel pediu um rei para Samuel, eles qestavam dizendo que estavam cansados do governo de Deus. Saul foi o escolhido, e vimos depois que ele matou-se porque estava sob o governo do mundo ou de si próprio. Não foi um reinado agradável.
Jesus vem, por isso devemos ouvir o chamado dele. Devemos estar atentos aos chamdos de Jesus Cristo.
A essência de Deus é o amor. A igreja se torna um ambiente alegre de segurança porque está sob o governo divino. Há paz onde tem o governo de Deus.
O Senhor não desistiu e institui a minha igreja.
Mas com tantas tragédias, notídcias ruins, será que dá para criar filhos nesse mundo?
Sim, debaixo do governo de Deus é possível.
A minha igreja está sob o governo de Deus. Aleluia!
O Senhor convida a todos a dizer com Ele "venha a nós o teu reino". Queremos viver debaixo do governo de Deus. Onde o governo é de Deus podemos encontrar amor, santidade e justiça.
Portanto, amados, deixemos que nossa vida seja governada por Deus.

domingo, 5 de abril de 2009

Significado da morte de Jesus

Em 2 Coríntios 5:14-21 " Porque somos dominados pelo amor que Cristo tem por nós, pois reconhecemos que um homem, Jesus Cristo, morreu por todos, o que quer dizer que todos tomam parte na sua morte.
Ele morreu por todos para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas vivam para aquele que morreu e foi ressuscitado para a salvação deles.
Por isso, daqui em diante, não vamos mais usar regras humanas quando julgarmos alguém. E, se antes de nos termos tornado cristãos julgamos Cristo de acordo com regras humanas, agora não fazemos mais isso.
Quem está unido com Cristo é uma nova pessoa; acabou-se o que era velho, e já chegou o que é novo.
Tudo isso é feito por Deus, o qual, por meio de Cristo, nos transforma de inimigos em amigos dele. E Deus nos deu a tarefa de fazer com que os outros também sejam amigos dele.
A nossa mensagem é esta: Deus não leva em conta os pecados dos seres humanos e, por meio de Cristo, ele está fazendo com que eles sejam seus amigos. E Deus nos mandou entregar a mensagem que fala da maneira como ele faz com que eles se tornem seus amigos.
Portanto, estamos aqui falando em nome de Cristo, como se o próprio Deus estivesse pedindo por meio de nós.
Em nome de Cristo nós pedimos a vocês que deixem que Deus os transforme de inimigos em amigos dele. Em Cristo não havia pecado. Mas Deus colocou sobre Cristo a culpa dos nossos pecados para que nós, em união com ele, vivamos de acordo com a vontade de Deus."
A ideia é que o amor de Cristo entrou na vida de Paulo, o amor de Cristo entra na vida do cristão e torna-se a motivação básica do ser-humano. Modificando a sua vida.Quem é transformado pelo amor de Cristo é uma nova pessoa. Uma pessoa melhor.
Quando Paulo diz isso, ele fala de sua própria experiência. Ele entedeu e creu na mensagem do evangelho.
Paulo entendeu que Cristo havia morrido no lugar de todas as pessoas, foi uma morte representativa, substitutiva. Paulo entendeu o propósito na morte de Cristo (versículo 15). Para que todos os que vivem não vivam mais para si mesmo, mas vivam para aquele que morreu e foi ressuscitado para a salvação deles
Precisamos conhecer, entender, compreender, reconhecer e aceitar o que a palavra diz.
Jesus morreu por cada pessoa.
Em Romanos 5:6-9
"De fato, quando não tínhamos força espiritual, Cristo morreu pelos maus, no tempo escolhido por Deus.
Dificilmente alguém aceitaria morrer por uma pessoa que obedece às leis. Pode ser que alguém tenha coragem para morrer por uma pessoa boa.
Mas Deus nos mostrou o quanto nos ama: Cristo morreu por nós quando ainda vivíamos no pecado."
Paulo nos diz mais sobre a morte de Jesus. Cristo ainda morreu por nós, quando ainda vivíamos em pecado. Deus mostrou o quanto nos ama. A morte de Cristo significa que Deus ama cada um de nós.
Você já entendeu o significado da morte de Cristo?
Aquela cruz era nossa, o propósito de Cristo é de transformar a nossa vida.
O melhor presente que o homem pode receber e receber o amor de Cristo.
O que cada um de nós está fazendo com o amor de Deus?
O que cada um de nós está fazendo com a cruz de Cristo?
Isso faz alguma diferença na sua vida?
Compartilhar o amor de Cristo é uma tarefa dada por Deus, é uma missão, uma ordem.
Deus quer que experiementemos e desfrutemos o presente do teu amor, mas ele quer que comparilhemos esse presente com os outros e sejam contemplados com esse amor.
Deus nos mandou entregar a mensagem que fala da maneira como se faz para se tornar amigos dele. ( versículo 19)
Compartilhar o amor de Deus é o mais alto privilégio (versículo 20). Nós somos representantes autorizados por Cristo. Por isso que dizemos em nome de Jesus Cristo.
O Senhor deseja que todos se arrependam de seus pecados e entreguem a sua vida a ELE.
E por que é um privilégio?
"Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." ( João 3:16)
Desfrute o seu privilégio, mas cumpra o seu dever. Aproveito o presente do amor de Deu, mas cumpra a sua missão, porque ela é uma honra, uma missão de alegria.

sábado, 4 de abril de 2009

Obrigada Jesus!

Vencedores não são aqueles que nunca falham, mas aqueles que nunca desistem.
Vale a pena esperar no Senhor. Nenhum dos que esperam no Senhor serão envergonhados.